• Herbig Soluções Financeiras

Os 8 erros mais comuns da precificação

Quando o assunto é calcular o custo do seu produto/serviço muitas empreendedoras não sabem por onde começar, especialmente as que trabalham com serviços como psicólogas e consultoras de imagem. Não se desespere! Vamos ajudar a realizar a precificação do seu produto/serviço apresentando os erros mais comuns no momento de calcular o custo de venda das suas criações.


1. Não separar as contas da empresa das particulares


Esse é um dos erros mais comuns e que mais impactam o crescimento da empresa. Pois, ao listar as despesas fixas e variáveis precisamos entender o que são os gastos particulares e separar dos gastos da empresa. Apesar de fazerem parte de sua rotina, são duas facetas independentes de sua vida. Ainda que seu negócio proporcione o pagamento do seu custo de vida, já que o seu salário é fruto de seu trabalho, que no momento é sua empresa. Deu para entender?


Juntar os custos da manutenção de sua residência, por exemplo, com os da manutenção de seu negócio vai influenciar no custeio e valor de venda, além de impactar a percepção de quanto dinheiro é necessário para manter o negócio funcionando.


2. Não conseguir determinar os gastos fixos e variáveis do negócio


Gastos são os recursos necessários para gerenciar o empreendimento, fabricar produtos ou executar serviços, sendo que podem ser separados em custos e despesas. Onde o custo abrange tudo que é indispensável para produzir um bem ou realizar um serviço. Despesas são os recursos usados na gestão do negócio, que estão relacionados às questões administrativas.


O que são gastos fixos?


São despesas que acontecem independente da realização de um serviço ou comercialização de produtos. Pertencem ao empreendimento, além disso, não podem se tornar tão altos ao ponto de inviabilizar a manutenção da empresa. Por exemplo, luz, telefone, internet, etc.


Gastos variáveis


São despesas que só ocorrem quando há a comercialização de produto ou serviço. Por exemplo, matéria-prima.



3. Não considerar a margem de contribuição


Para zerar as contas do mês é necessário ter dinheiro suficiente para cobrir os gastos fixos e variáveis da empresa. A propósito, esse recurso é resultado de como o empreendedor administra o seu negócio, de forma a proporcionar margem de contribuição obtida com a venda do produto ou serviço.

  • Margem: diferença entre o valor da venda e os valores das despesas e dos custos específicos dessas vendas.

  • Contribuição: representação de quanto o valor das vendas contribui para o pagamento das despesas fixas e também para gerar lucro.

Assim margem de contribuição, significado parecido com o “ganho bruto sobre as vendas”, indica o quanto sobra para as empresas quitarem suas despesas fixas e lucrar.


Como calcular a margem de contribuição?


MC = Valor das vendas – [custos variáveis + despesas variáveis]


Por isso, é tão importante saber o custo da matéria-prima, além de verificar o valor de venda dos concorrentes para não vender seu produto/serviço abaixo ou acima do valor de mercado.


4. Não realizar a precificação corretamente


Durante algum tempo foi divulgada uma fórmula simples de precificação de produtos:


Custo da matéria-prima X 3


Que já foi muito utilizada por artesãos. Ocorre que essa conta não considerava os custos de manutenção do ateliê/espaço de trabalho nem o tempo gasto com o desenvolvimento do produto. Por isso, com o tempo ficou claro que essa conta não atendia as particularidades de diversos profissionais e começou a ser questionada.


Quando o assunto é precificação não existe certo e errado, existe o valor que cobre todos os custos de produção e que garante o lucro. Afinal, o lucro é um objetivo do negócio, não é mesmo?

Já falamos sobre como realizar a precificação do seu negócio em outras oportunidades, se quiser entender como calcular o valor de seus produtos indicamos a leitura de Como precificar? Aprenda de uma vez por todas! e Como precificar no atacado?


5. Comparar os valores praticados pelos concorrentes


Sabemos que realizar uma pesquisa de mercado para entender os concorrentes é fundamental. Entretanto, existem características que só o seu negócio tem, como você! Essa pessoa maravilhosa que decidiu começar a empreender por diversos motivos, que não cabe discutir agora, mas é a essência da empresa.


É interessante analisar a concorrência para não praticar valores muito abaixo ou acima do mercado. No entanto, quando o custo do seu produto está muito diferente da concorrência, algumas coisas podem ser a causa dessa discrepância:

  • contratos realizados com fornecedores maiores ou menores;

  • margem estabelecida maior ou menor que a praticada pelo mercado;

  • diferença na qualidade do produto/serviço;

  • venda em grande quantidade que impacta o valor final;

  • percepção dos clientes em relação ao seu produto/serviço. Sim, ter uma marca conhecida importa.

6. Esquecer o ponto de equilíbrio operacional


Ponto de equilíbrio: o que é? Do que se alimenta? Ponto de equilíbrio é estimar o quanto é preciso vender para não ficar no prejuízo. Isso significa gerar nas vendas margem de contribuição suficiente para cobrir os gastos fixos do negócio. Em outras palavras, proporcionar o pagamento de todas as despesas de forma a empatar o jogo.


O cálculo do ponto de equilíbrio é importante, pois ajuda você a ser cuidadosa com as margens e custos fixos.


Quando os gastos da empresa são altos, é necessário vender mais para empatar as contas. Da mesma forma quanto maior for a margem, menor o volume de vendas necessário para alcançar o equilíbrio.


7. Esquecer do custo da ociosidade


Outra variável que muitos se esquecem de considerar quando tem um negócio é o custo da ociosidade. Que é a diferença entre a capacidade produtiva e o que é realmente produzido no período. Para compreender melhor temos o texto Custo de ociosidade, o que é isso?


gif

8. Não lembrar que você é sua marca


Quando penso em mulheres poderosas, a Beyoncé é uma que vem à cabeça, isso acontece porque ela trabalhou a própria imagem como um produto. Aliás, Beyoncé é uma marca extremamente lucrativa. Ainda que cantar seja a sua profissão, nos apaixonamos pelo conceito que ela representa "empoderamento".


Logo, você precisa aprender a calcular o seu valor para pagar os serviços que são prestados. No caso da Beyoncé são as apresentações e tudo o que ela representa. Para criar o seu negócio muitas coisas tiveram que ser feitas para ele se tornar realidade. Além disso, como profissional você investiu na sua carreira através de formações, que se não custaram dinheiro, coisa que acho bem difícil, custaram muito suor e lágrimas.


Para ajudar a determinar seu valor, no caso o quanto a empresa precisa pagar para a CEO mais f*d* que existe, já falamos um pouco sobre o assunto em Como mensurar o seu valor? Observando que, o que tem preço é produto, você tem valor!


Estamos preparando um workshop especial de precificação para empreendedoras, fiquem de olho nas nossas redes sociais para não perder essa oportunidade.


19 visualizações0 comentário