• Herbig Soluções Financeiras

Como se planejar para sair da casa dos pais?

É manas, esse momento chega para todas! O momento em que cortamos oficialmente o cordão umbilical e aprendemos que sim, cozinhar é um serviço que leva tempo e muita organização. E se você já sabe que esse é o momento de ir atrás da sua própria liberdade, se organizar financeiramente é imprescindível.


Sair da casa dos pais é um passo importante, mas não precisa ser dolorido, muito menos traumático. Com algumas dicas, organização e alinhamento de expectativas, garantimos que você vai conseguir tirar de letra esse desafio. Mas… por onde começar?


Pega o papel e a caneta que o papo vai ser bom!


Como dar o primeiro passo?

Calma e respira. Essa é a primeira coisa que você deve fazer. Tomar decisões precipitadas, antes de se organizar e planejar, pelo menos os próximos 6 meses da sua vida, talvez não seja a melhor opção.


Por isso, acreditamos que para dar o primeiro passo você precisa ter certeza do que quer, e se tiver certeza e tiver medo, a gente diz, vai com medo mesmo. Agora, a primeira coisa que você deve fazer é se organizar. E se organizar envolve inúmeras coisas, entre elas, entender o seu momento de vida e o porquê você tanto quer sair de casa.


Comece por uma lista

Comece fazendo uma lista dos motivos que seriam benéficos para você sair de casa, eles podem ser inúmeros: mais liberdade para levar amigas em casa, dar um sossego para os seus pais, ambiente melhor para executar o trabalho… pode incluir o que você achar que vale.


E também, faça uma lista das coisas negativas, como por exemplo: pagar todas as contas por conta, ter que dedicar mais tempo às tarefas de casa, menos dinheiro para gastar com lanchos nos apps de delivery…


Agora analise essas duas listas. Se os pontos negativos pesam menos do que os positivos, talvez esse seja realmente o momento de você dar esse passo.


Decisão tomada? Vamos às dicas práticas!


5 dicas práticas para morar sozinha


1. Economize uma reserva emergencial

Muitas pessoas não possuem a possibilidade de se organizar financeiramente antes de uma emergência, e como você ainda mora com seus pais, fazer essa reserva antes de ir morar sozinha é muito mais inteligente do que tentar fazê-la depois.


Nós nunca sabemos o dia de amanhã, e morando sozinha, a responsabilidade financeira cai toda sobre você. Por isso, é importante você ter uma reserva emergencial de pelo menos 6 meses do seu salário.


Dessa forma, caso você precise ficar parada, sem trabalhar, ou seja demitida (esperamos que não seja esse o caso) ou até mesmo tenha que arcar com custos de saúde, essa reserva pode te tirar de apuros financeiros futuramente.


Para fazer essa reserva, utilize a nossa “regrinha de três”.

  • 50% do seu salário serve para gastos fixos

Nos gastos fixos entram TODAS as contas recorrentes, como contas de água, luz, aluguel, netflix, internet… entre outras. Coloque tudo no papel para não se perder.

  • 30% para gastos variáveis

Dentro dos gastos variáveis entram as compras que não são recorrentes, gastos com delivery, roupas, cosméticos...

  • 20% para investimentos

Todos os 20% que sobrarem, você pode aplicar em algum investimento ou guardar na poupança da sua conta digital (a gente acredita que você já tenha uma, certo?)


Essas porcentagens você pode ir alterando com o que faz sentido para você. Por exemplo, se você não compromete 50% da sua renda com gastos fixos, pode passar uma parte dessa quantia e aplicar com os 20% que irá investir. E assim vai…


Quando você tiver os 6 meses de salário já guardados, você estará mais tranquila para tomar decisões para o seu futuro.


2. Garanta a sua independência financeira

Ser independente financeiramente, como nós já explicamos, quer dizer que você pode ficar um período de tempo sem trabalhar sem fazer dívidas. Talvez para muitas de vocês não seja algo tão palpável nesse momento, mas garantir que você terá algum tipo de estabilidade caso perca o emprego ou caso o seu negócio não fature tudo o que tem de faturar em alguns meses do ano, uma reserva emergencial já te auxilia e muito!


3. Conheça os gastos de uma casa

Essa, talvez dentre todas as dicas que possamos te dar, seja uma das coisas mais importantes.


Os gastos com a casa são assim… incontáveis. Sempre temos que arrumar alguma coisa ou comprar alguma coisa. Pode ser o chuveiro que queimou, o gás que acabou, ou aquela xícara que ainda falta no seu jogo de louças.


Então, pergunte para seus pais, para as suas amigas que já moram sozinhas, e vá anotando TUDO o que possa vir de gastos surpresas ou não dentro de uma casa. Assim, você já consegue fazer uma média do quanto irá gastar por mês com aluguel e gastos apenas da casa.


E não esqueça dos gastos fixos:

  • Comida (mercado)

  • Higiene pessoal

  • Transporte

  • Aluguel

  • Água

  • Luz

  • Internet

  • Telefone

  • Entre tantos outros


Com base nesse valor, entenda se hoje você consegue se manter com o seu atual salário, ou se irá precisar de um aumento ou de alguma renda extra. Com isso em mente você já pode ir se organizando para conseguir se manter sem fazer dívidas.


4. Procure um aluguel que caiba no orçamento

O aluguel do seu apartamento tem que caber no seu orçamento, ou seja, é importante que APENAS o aluguel não comprometa 50% da sua renda, afinal, você ainda precisa de uma margem para gastar com os outros gastos fixos na casa.


Optar por dividir o apartamento talvez seja uma decisão mais palpável do que ir morar sozinha de cara, principalmente levando em consideração o custo do aluguel.


É claro que dividir o ambiente nem sempre é fácil, principalmente se for com alguém que você ainda não conhece. Mas considere essa opção caso você esteja muito desesperada para sair da casa dos seus pais.


5. Aprenda e divida as tarefas domésticas

E por último, mas não menos importante. Aprenda as tarefas domésticas e se for dividir o apartamento, faça uma separação clara do que cada um precisa cuidar para uma boa convivência.


Tem pessoas que já são mais ativas nas tarefas de casa, e tem pessoas que nem lavar a louça sabem direito. Então, é sempre bom alinhar as expectativas com as suas próprias habilidades e com as de seus colegas de apartamento. E claro, respeitar o momento de crescimento de cada um, inclusive o seu próprio.


Lembre-se, você não precisa dar conta de tudo logo de cara, você vai errar, TODO mundo erra nesse começo. O importante é não desistir, se organizar e tentar não surtar.


E se tiver que surtar e pedir socorro, faça isso. Só não passe sozinha por isso mana.


Te desejamos toda a sorte do mundo nesse novo desafio. Temos certeza que você vai tirar de letra. FOGUETE NÃO TEM RÉ!

Beijo de toda a equipe Herbig.


35 visualizações0 comentário