• Herbig Soluções Financeiras

Como se organizar financeiramente sendo freelancer

A tecnologia está transformando a forma como vivemos e nos relacionamos, inclusive como trabalhamos. Com as mudanças que já eram previstas, mas aceleraram com a pandemia, no futuro teremos mais pessoas trabalhando como freelancers. Logo, precisamos voltar à atenção para as demandas financeiras desse perfil de trabalhador. Aqui vamos dar dicas de como se organizar financeiramente sendo freela, para simplificar o dia a dia dessa categoria de empreendedor.


Acredito que quando falamos empreendedor você ficou bugada. Ocorre que um freelancer é empreendedor de si mesmo. Afinal, seu negócio é sua força de trabalho, que ele vende. Para isso oferece seus serviços para empresas em busca de profissionais com o seu perfil.


Seu faturamento depende da quantidade de trabalho que realiza. Assim, quanto maior o número de clientes mais receita, quanto menor menos dinheiro entra no caixa. Por isso, começamos o texto falando que se trata de um profissional com renda variável, que fatura a quantidade de trabalho que consegue vender e realizar.


Estruturando seus gastos fixos


A primeira coisa é saber o seu custo de vida, o quanto você precisa para viver, para determinar o mínimo que você precisa fazer no mês. As entradas precisam cobrir esse valor para não gerar dívidas, bem como juros que podem causar aquela bola de neve que devemos evitar.

Quando você entende seus gastos fixos pode determinar quanto deve cobrar por um serviço, a quantidade de serviços que precisa realizar no mês para gerar esse valor, etc.


Portanto, reserve um tempo durante a semana para fazer o planejamento. Se fizer isso vai ser mais fácil gerenciar seu tempo e encaixar suas atividades segundo a demanda. Assim como, compreender se determinada oferta de trabalho faz sentido para você.


Como determinar o que é um gasto essencial?


Na hora de fazer um levantamento do custo de vida existem muitas dúvidas sobre o que é essencial ou não. Principalmente quando o objetivo é cortar gastos.


Simplificando, essencial é o que você não vive sem, necessita para viver. Não essencial é o que você pode cortar, pois, não impacta a sua existência. Exemplo, energia é essencial, atividade física é importante para a saúde, mas ficar sem ir à academia não impacta a sua existência mínima. Afinal, existem formas de manter a saúde sem precisar desembolsar dinheiro como, por exemplo, a caminhada.



Realize o controle mensal


Existem vários aplicativos e planilhas de controle financeiro, basta encontrar o que mais atende suas necessidades e seja mais simples de utilizar. Se você é o tipo de pessoa mais old school e não abre mão do caderninho, desde que isso faça sentido para você use sem moderação. Não se sinta obrigada a aderir a um aplicativo só porque todo mundo usa. Só você entende suas afinidades.


Entenda a importância da gestão sendo freelancer


Muitas pessoas se tornam freelas, pois querem mais liberdade em sua rotina "ser seu próprio chefe". Porém, para ser seu próprio chefe é preciso acompanhar de perto seu desempenho. Logo, entender que agora você é uma empresa e precisa de um excelente controle financeiro para lucrar é fundamental. Já que o objetivo de qualquer negócio é gerar renda e lucrar.


Como freela, você é o chefe, o profissional que está sendo contratado para prestar um serviço e precisa realizar da melhor forma, o financeiro, o atendimento, etc. Enfim, geralmente é única pessoa que exerce todas as funções que um negócio exige.


Como responsável pela empresa, o gerenciamento é sua responsabilidade. Aliás, o controle financeiro é o que mantém a empresa operando e gerando receita. Dito isso, o planejamento é essencial.


Separe as contas pessoa física e pessoa jurídica


Você precisa saber o seu custo de vida e o custo de manutenção do seu negócio, para entender o mínimo que deve lucrar todo mês, é importante separar essas duas pessoas para entender quanto de sua renda cada uma absorve.


Separando as contas também evitamos um dos maiores erros do empreendedorismo: achar que todo o dinheiro que entra no caixa da empresa é da sua pessoa, misturando gastos pessoais e empresariais, tornando mais difícil uma gestão financeira profissional.


Uma dica: se você for MEI existe conta jurídica sem a necessidade de pagar taxas.


Acompanhe todos os seus gastos como pessoa física


Existem diversos aplicativos onde você pode fazer esse levantamento, inclusive temos uma planilha para você relacionar todas as suas contas aqui: https://bit.ly/3EjMdvq

Isso é fundamental para você conhecer o seu estilo de vida e padrões como pessoa física.


Faça o mesmo com seu negócio


Acompanhe todos os gastos do seu negócio. Liste tudo o que precisa para realizar sua atividade como: internet, ferramentas, manutenção de equipamentos, luz, telefone, etc. Esse vai ser o custo de manutenção do seu empreendimento.


Estabeleça um salário


O salário é o quanto você vai se pagar. Lembrando que esse valor não deve ser superior às entradas. Mas, como definir um salário justo?


Não existem regras para definir esse valor, o que você pode fazer é usar como ponto de partida seu custo de vida. Também pode fazer uma pesquisa de mercado e descobrir o ganho médio de um profissional que exerce a mesma função.


Se você está com problemas para entender como se pagar pela sua empresa, temos um vídeo maravilhoso da Mari explicando Como definir o seu salário como empreendedora.


Tenha uma reserva de emergência


Imprevistos acontecem, por isso, guarde um dinheiro em uma reserva de emergência para possíveis gastos inesperados. Como ter que consertar um equipamento, ou, até mesmo, substituir.



Metas de porcentagem


Existem muitas maneiras de verificar como anda o seu negócio, mas vamos indicar a meta de porcentagem, que ajuda a entender como o dinheiro está sendo gasto. Utilizando a metodologia baseada em porcentagens você consegue visualizar a saúde de seu negócio e garantir recurso para investir. Vejamos:


100%: se o seu custo mensal está absorvendo toda a sua renda é sinal de atenção. Algo precisa ser feita para baixar esses gastos.


Nesse caso não existe margem para imprevistos, se algo der errado não há uma reserva para cobrir. Portanto, é preciso realizar cortes.


75%: com essa porcentagem o recomendado é poupar de 5 a 10% da renda mensal.


50%: aqui o indicado é poupar 15% da renda total mensal. Com essa porcentagem sobra um valor considerável para realizar sonhos e investir.


25%: poupar 20% da renda, além de ser o sonho de todo empreendedor.


Com as metas de porcentagem fica mais fácil visualizar o desenvolvimento do seu negócio, além de reservar uma grana para investir, tanto no crescimento do seu empreendimento, quanto em sonhos.


Além disso, trabalhar com porcentagens é mais interessante, pois você não precisa guardar todo mês um valor fixo, já que ele varia conforme as entradas.


Precisa de ajuda para organizar suas finanças?


Temos um curso de finanças empresariais para você se organizar financeiramente sendo freelancer ou também as mentorias personalizadas que tem um acompanhamento mais de perto da nossa equipe. Com a gente você vai aprender a precificar seu trabalho, determinar o ponto de equilíbrio, organização financeira, fluxo de caixa, entre outras coisas que vão acelerar o seu negócio. Entre em contato e conheça nossas soluções para o seu negócio.


9 visualizações0 comentário