• Herbig Soluções Financeiras

Como as empreendedoras de evento se reinventaram na pandemia

O povo brasileiro já é campeão no jogo de cintura! Somente uma população que já passou por diversas transformações na economia e continuou sorrindo, consegue encontrar tantas oportunidades em meio à crise. O setor de eventos foi um dos mais impactados pela pandemia, além disso, não há previsão de retomada total das atividades. Assim, para não deixar a peteca cair e garantir a sobrevivência de seus negócios, empreendedoras de evento se reinventaram e criaram novas formas de atender seus clientes e faturar.

Vejamos a seguir a experiência de uma empreendedora de evento que faz parte da nossa Rede Herbig, a Dai Gonçalves da empresa Flor de Quintal, vejamos como o negócio dela manteve a operação nos últimos meses.

“Muito além de trabalhar com o que gosto, minhas empresas se tornaram a forma de me ver no mundo. Hoje, com a Flor de Quintal, consigo misturar um propósito na valorização da infância com o lúdico - algo que carrego em todos os meus trabalhos há 12 anos. Uma empresa que foge do objetivo de apenas lucrar, mas, que trabalha de forma justa e afetuosa de verdade.

O ponto de virada da minha caminhada rumo ao sucesso aconteceu quando comecei a valorizar meu trabalho como empreendedora para o além do talento criativo. Conseguir ver todo meu esforço como uma empresa de verdade, que emprega e que busca a excelência no que faz.”



O impacto da pandemia na Flor de Quintal


“Por trabalharmos com eventos infantis, fomos (e estamos) diretamente impactados pelo isolamento social, pois, nossa área continua impossibilitada de trabalhar. No entanto, apesar de todas as dificuldades financeiras, colhemos os frutos de todo trabalho feito com tanto carinho. Dito isso, não precisamos nos reinventar e criar outros serviços, já que conseguimos continuar com nossa proposta principal.

Isso com certeza por conta de tantas pessoas que acreditam em nosso espaço e também com o trabalho da Herbig, que nos permitiu superar nossos medos e nos tornarmos protagonistas das nossas finanças.”



A contribuição da Rede Herbig


“Como eu já disse a Herbig foi essencial para a evolução do meu negócio. Além disso, fazer parte da Rede Herbig, que eu conheci após o meu processo de mentoria, está muito além da troca de experiências que nos proporciona e, também, conhecimento. É se sentir amparada de alguma forma, saber que não estamos sozinhos, sentimento tão fundamental para uma caminhada um pouco mais leve.”


Outras iniciativas que deram super certo


Logo no início da pandemia, as LIVES se tornaram a forma dos artistas manterem contato com o público e aliviar a tensão do distanciamento social. Como não tínhamos muita informação sobre o vírus, todos foram fortemente impactados tanto mental quanto socialmente nos primeiros meses de lockdown. As LIVES se tornaram parceiras trazendo diversão e acalento, além de aproximar artistas e público.

Com o tempo e o crescimento da demanda por lives as empresas encontraram uma grande oportunidade de anunciar e vender produtos através da popularidade dos artistas.

Também tivemos os artistas que tocavam na sacada de seus apartamentos para entreter seus vizinhos e criar um clima mais agradável durante o isolamento. Eu posso dizer que aqui no meu condomínio nós tivemos uma banda tocando no espaço da feira, aliás, ouvir saxofone no final de tarde foi mágico. Um carro de som circulando e um DJ tocando Ariana Grande e Anitta pra gente descer até o chão. Com essa demanda de entretenimento nos condomínios alguns artistas conseguiram fazer uma renda.

Com a popularidade dos aplicativos de vídeo chamada, como Zoom e Google Meet, usados para manter contato com familiares, realizar reuniões em empresas, aulas online, entre outros.

Também as empreendedoras de evento que trabalham com festa na caixa, um produto que já existia antes da pandemia, viram a procura aumentar consideravelmente. Assim foi possível comemorar aniversários e fazer happy hours mesmo a distância.



O impacto da pandemia no setor de eventos


Segundo dados da Abrafesta (Associação Brasileira de Eventos) o setor de eventos, um dos mais afetados pela pandemia, movimenta cerca de 270 bilhões todos os anos, antes da COVID-19 mudar o jogo. Desde o início do isolamento social necessário para evitar a propagação do novo coronavírus, a queda no faturamento do setor chegou a 95%, sendo que atualmente somente 8% dos eventos estão operando. Ainda, 40% das empresas mudaram o modelo de negócio e 60% encerraram suas atividades. A maior parte dos profissionais do setor mudou de profissão ou estão prestando outros tipos de serviços.

Com o avanço da vacinação no Estado de São Paulo, o governo anunciou que irá realizar eventos teste. Seguindo todos os protocolos de segurança: como testagem, vacinação, capacidade reduzida e uso de máscaras, como um esforço para começar a caminhada de retomada da economia.

O objetivo desses eventos teste é ajustar as regras para a realização de encontros de forma segura. Além disso, após a realização da reunião será feito o acompanhamento para verificar o impacto com relação ao contágio. Entre os eventos escolhidos para o análise estão o Grande Prêmio de Fórmula 1, Campus Party, CCXP (maior evento de cultura pop da América Latina, quiçá maior que a própria San Diego Comic Con, que serviu de inspiração), SP Arte e Oktoberfest.



O futuro do setor de eventos pós-pandemia


A pandemia acelerou mudanças que já vinham sendo discutidas há algum tempo, uma delas são os contratos celebrados para a realização de eventos. Pois, com o início do isolamento social os cancelamentos e adiamentos se tornaram rotina, dito isso os organizadores precisam ficar mais atentos às cláusulas de força maior, para preservar os lucros.

Com o fechamento de diversos hotéis, que não resistiram ao longo período de inatividade, os organizadores de eventos podem ter problemas de oferta e demanda no futuro. Já que não existe uma garantia de que haverão vagas suficientes para suprir a demanda.

Se no presente a crise fez o valor da estadia cair, no futuro o aumento da procura, dado que a quantidade de hotéis reduziu, pode elevar o custo desse tipo de serviço. Por isso, explorar outras opções para realização dos eventos é importante para não ver as despesas explodirem.

A propósito, o momento é favorável à negociação, como a procura por estadia despencou em função da pandemia, os hotéis estão mais dispostos a conversar e oferecer preços mais convidativos.

E o que você pode fazer como empreendedora de eventos? Se preparar. Afinal, após tanto tempo em casa, sem participar de convenções as expectativas estão altas com relação à retomada, com força total, dos encontros físicos. Para ajudar nesse processo, temos mentoria empresarial que considera as necessidades de seu negócio.


14 visualizações0 comentário