• Herbig Soluções Financeiras

Qual o melhor momento para ensinar Educação Financeira para crianças?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a educação financeira não se inicia apenas na vida adulta. Inclusive o ideal seria que não começasse apenas na vida adulta, e sim desde a infância, afinal, o dinheiro impacta em todos os âmbitos das nossas vidas, sendo adultos ou não.


Os primeiros contatos com aquisições de brinquedos ou bens materiais, acontecem muito cedo, e é importante os pequenos entenderem de onde vem e para onde vão os recursos familiares. Por isso, vamos te dar dicas de como você pode começar a inserir a educação financeira de uma forma saudável na vida da sua criança e qual o melhor momento para fazer isso.


Quando devo começar a falar sobre educação financeira?



Essa é uma pergunta complexa de se responder, e não poderíamos dizer para você qual a melhor época para tratar de educação infantil na infância sem algum tipo de embasamento. Mas encontramos um relatório que sana essa dúvida. De acordo com uma pesquisa feita pelo The Money Advice Service, a Habit Formation and Learning in Young Children, a idade ideal para começar a falar sobre dinheiro com crianças seria de 3 anos, ou seja, desde muito cedo.


Mas calma, não é dessa forma que você está pensando.


O que fica claro pelo relatório, é que as formas com que esse tema será apresentado não é necessariamente por meio de cursos ou de aspectos mais técnicos das finanças, mas sim dar o direcionamento de que é por meio das moedinhas que eles podem conseguir coisas, por meio da economia das moedas que eles podem comprar balas mais pra frente.


Então o ideal é sempre trazer essa conversa de uma forma mais lúdica.


Já para crianças que são maiores, entre 9 e 13 anos, e aqui é uma dica nossa, é importante já ir falando sobre o impacto das finanças na vida delas e como o controle financeiro pode ajudá-las.


Então vamos para as formas práticas!


Como introduzir o assunto com as crianças?

Como já citamos, falar sobre dinheiro com crianças muito pequenas pode ser algo um pouco confuso, até porque elas não possuem uma compreensão de mundo vasta. Para isso, é importante deixar as atividades o mais lúdicas possíveis.


Moedinhas

Sabe aqueles trocados que sobram quando você vai na esquina comprar pão? Esses trocadinhos podem virar uma forma de você ensinar o seu pequeno a contar e a guardar, mesmo que pouco, o próprio dinheirinho dele.


Dessa forma, quando ele pedir uma bala, ou algo assim, ele vai saber o quanto precisa juntar para comprar o docinho que tanto gosta. E não esquece de oferecer um cofrinho também para a criança não botar na boca as moedas.


Deixe-a pagar por coisas

Isso é uma ótima atividade também, deixar a criança pagar por algo para ela ou para a casa. Dessa forma ela já começa a entender essa percepção de troca e de câmbio. Para crianças de 7 à 10 anos, explicar a dinâmica da casa e dos gastos fixos também é uma iniciativa que pode mostrar um pouco do universo de quem cuida das finanças de casa.


Leitura

Quando a criança já estiver com cinco ou seis anos, uma leitura mais lúdica pode auxiliar e muito a compreensão. Os livros infantis costumam ser mais visuais, isso auxilia muito o processo cognitivo da criança e a começar a ter uma percepção de finanças.


Aplicativos

E como estamos em um mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) e mais recentemente BANI, que na tradução literal significa: Frágil, Ansioso, Não linear e Incompreensível é importante acompanhar o movimento do mercado e situação econômica com uma frequência e consciência maior.


Para isso, a tecnologia caminha ao nosso lado, e hoje, já possuímos soluções em software que auxiliam crianças e adolescentes a manterem o seu próprio controle financeiro.


Tindin

O Tindin é um aplicativo de educação financeira, que explica de forma gamificada como cuidar do próprio dinheiro. Ele funciona muito bem como instrumento educativo e os pais podem fazer esse trabalho em conjunto, auxiliando os filhos a entenderem as funcionalidades do app e a como economizarem suas próprias mesadas.


Dentro do app você encontra as seguintes funcionalidades: Carteira Digital; Poupança Lúdica; Educação a Distância; Loja de Desejos; Pintura Livre. Todas com o intuito de deixar as finanças o mais simples possível.


NextJoy

O NextJoy é um app do Banco Bradesco em que os personagens mais famosos da Disney, aparecem para ensinar os pequenos sobre finanças. Dentro do sistema, a criança encontra funcionalidades como a Poupança programada e as trilhas educacionais, que tornam o aprendizado sobre finanças o mais leve e informativo possível.


Poupadin

O Poupadin, não só é gamificado como é efetivamente um jogo sobre finanças. Ele funciona para tablets, androids ou PCs. O legal do jogo é que o objetivo e intuito geral é ter uma saúde financeira equilibrada, em que o avatar de quem precisa se alimentar bem, ser organizado, ter saúde financeira e em outros aspectos. O jogo é super divertido e pode entreter qualquer um.


Ou seja, mamães e papais, não tem motivo para não começar hoje a conversar sobre finanças com os seus pequenos. Essa responsabilidade não precisa ser algo apenas da mulher ou do homem dentro de casa, precisa ser de todos nós.


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo