• Herbig

Educação Financeira no Brasil!

Atualizado: Jun 12


Nós já estamos cansados de saber que a Educação Financeira no Brasil está longe de estar em nível satisfatório, que somos um país com altos índices de endividamento e com baixos números de pessoas que investem ou poupam dinheiro. Nós, as Maris da Herbig, temos a missão de espalhar a educação financeira, pois acreditamos que esse é um dos caminhos para liberdade e melhor qualidade de vida pra todos! O Brasil está em 74° lugar em educação financeira no mundo, atrás de países considerados os mais pobres do mundo como Madagascar e Zimbábue. A pesquisa realizada pela S&P Ratings investigou se os entrevistados de cada país dominavam quatro conceitos financeiros básicos: aritmética, diversificação de risco, inflação e juros compostos. Apenas 35% dos brasileiros acertaram pelo menos 3 das quatro perguntas, e a pergunta que fica é: porque temos essa educação financeira tão falha no Brasil? Quem são os vilões e como reverter isso?


A culpa vem de longe!

Vamos partir do princípio de que esse triste cenário de educação financeira vem do nosso governo (e história também!). Desde os anos 40 somos um país inflacionário, se levarmos em consideração a loucura econômica em que o país se tornou nos anos 80/90, com o cenário hiperinflacionário, podemos entender diversos dos nossos problemas culturais atuais com relação a dinheiro. Somos criados por pais e avós que precisavam gastar todo seu salário o mais rápido possível, pois em poucas horas o que se recebia hoje já teria perdido poder de compra (ou até mesmo virado pó). Durante esse período tivemos ao menos 3 trocas de padrões monetários, além do confisco das poupanças no governo do Collor. Anos e anos de incertezas, ações desastrosas, instabilidade e medo. Como poupar e investir diante desse cenário? Era missão para poucos!


O brasileiro ganha pouco e paga muito!

A renda per capita do brasileiro em 2018 foi de R$ 1.373 (segundo IBGE), considerando os valores de imóvel, alimentação, educação, lazer, segurança...sabemos que esse valor não é o suficiente pra uma vida tranquila e com sobras. Precisamos trabalhar em média 5 meses no ano só pra pagar os impostos ao governo. E não é só o imposto de renda, aquele que a gente declara e consegue ver com mais precisão, mas pagamos MUITO imposto sobre tudo que consumimos, inclusive os alimentos e índices básicos de sobrevivência. Resultado dessa combinação não muito agradável de ganhar pouco e gastar muito, é que a maioria dos brasileiros infelizmente ainda usa todo seu salário para conseguir pagar suas contas e se sustentar. E daí entendemos também essa cultura do país em parcelar, financiar e com isso pagar muito juros. Se não consigo ter como comprar à vista, parcelo pra caber no meu bolso. Como não temos conhecimento de conceitos básicos como juros compostos, pagamos 3 ou 4 vezes o valor de um carro por exemplo, para de fato conseguir consumi-lo.


Não fomos educados a poupar, muito menos investir!

Com todo esse cenário o brasileiro se tornou um povo que não poupa e muito menos investe. Segundo relatório da ANBIMA, 40% dos brasileiros não poupa nada e 47% conta com o INSS pra sua aposentadoria. Ou seja, uma população que não se prepara para o futuro. Tentei puxar da minha memória e não lembro de ter ouvido muitas vezes a palavra “investimento” até alguns anos atrás na minha vida. Nem na escola, nem em casa. Essa defasagem em nosso sistema educacional fez com que não nos ensinassem na escola como administrar nosso dinheiro, pouca coisa de matemática financeira é abordado na escola, e quando a abordado, de forma muito pouco prática e inserido na realidade.


Existe solução?

Com certeza sim! Claro que valores culturais não são modificados de um dia para o outro, mas considerando que estamos há algumas décadas já com um controle melhor da inflação, uma economia mais estável, menores taxas de desemprego e um mundo cada vez mais globalizado e integrado acreditamos que seja só uma questão de tempo e dedicação para alterarmos essa realidade. A geração millenials, aquela tão criticada geração, tem revolucionado o sistema financeiro do país. Hoje as fintechs, os canais e youtube, blogs sobre finanças e investimentos tem feito o brasileiro sair um pouco da sua zona de conforto, a diversificar e se arriscar mais.

As fintechs tem democratizado o acesso a informações e formas de investir, hoje é mais simples, fácil e menos burocrático. Apenas com alguns cliques, é possível abrir conta em banco, solicitar cartão de crédito, fazer investimentos e tudo isso sem taxas. Tem se abrido a possibilidade de ter acesso a muito conteúdo sobre planejamento financeiro, dicas para poupar e investir, informações sobre economia e finanças de forma gratuita e com uma linguagem fácil e democrática.

Apenas com muita informação iremos transformar essa realidade do nosso país. E temos visto uma verdadeira revolução nesse sentido! Se informe mais, busque esses canais tão simples que temos a nossa disposição hoje em dia. Só assim nos formaremos e formaremos as gerações que estão por vir!

0 visualização
© 2018 por Herbig®